Postagem em destaque

Centro Pop de Itabuna promove trabalho de assistência aos moradores de rua

O Centro de Referência Especializada para os Cidadãos de Situação de Rua – Centro Pop atende mais de 70 pessoas que vivem nas ruas de ...

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Proposta de edital para apoio a lavoura cacaueira é tema de reunião

Representantes da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb) estiveram reunidos, nesta quarta-feira (04), no Centro Administrativo da Bahia, para discutir investimentos, através de um edital, em pesquisas que visem o desenvolvimento da lavoura cacaueira.

De acordo com o chefe de gabinete da SDR, Jeandro Ribeiro, a proposta é conceber um edital que promova a inovação tecnológica da região do cacau para o fabrico do chocolate. “É preciso promover o desenvolvimento científico e a inovação tecnológica para a melhoria do cacau, tanto com tecnologias de pós-colheita, quanto de produção de chocolate. A ideia é que tenhamos equipamentos, máquinas e utensílios voltados para este fim”.


A proposta do edital é financiar projetos de pesquisa em instituições de Ensino Superior – IES ou Centros de Pesquisas e tecnológico, públicos ou privados, localizados no estado da Bahia, que visem desenvolver soluções inovadoras. O desenvolvimento de inovações tecnológicas que assegurem a viabilidade econômica do cacau, como mecanização de práticas agrícolas e um sistema de produção que assegure o aumento da produtividade com a melhoria na eficiência dos processos, foi um dos assuntos discutidos.

O Brasil alcançou o segundo lugar na produção mundial de cacau, sendo a Bahia líder com 86,58% do total, e o mercado vem se caracterizando pela maior presença de consumidores conscientes, que exigem um cacau de qualidade, seja no valor alimentar do chocolate, na inexistência de agentes contaminantes do fruto ou na utilização de processos produtivos ambientalmente sustentáveis. “É necessária a realização de pesquisas com o propósito de transferir competências para os produtores, considerando seus desafios e oportunidades”, disse.

Para o diretor de inovação da Fapesb,  Lázaro Cunha, as atividades de popularização da ciência no meio rural geram possibilidades para os jovens se manterem no campo. “A possibilidade da Fapesb e a SDR trabalharem juntas nos dá a possibilidade de realizar um trabalho estruturante. Vamos utilizar os conhecimentos da Fundação para ajudar no desenvolvimento rural do estado”.


Estiveram presentes também o titular da Coordenação de Pesquisa, Inovação e Extensão (Cepex), José Tosato, e a coordenadora de Apoio a Tecnologias Sociais e Ambientais da Fapesb, Talita Assis.  
Por - Daniel Thame

Nenhum comentário:

Postar um comentário