sexta-feira, 1 de julho de 2016

Evento em Ilhéus discute educação patrimonial e preservação de prédios históricos

O evento faz parte das comemorações dos 25 anos do Museu da Piedade e dos 100 anos do Instituto Nossa Senhora da Piedade
 Ilhéus recebeu nesta sexta-feira, dia 1º, o programa “Narrativas Patrimoniais”, como parte da programação do I Seminário de Museologia e Patrimônio, realizado no auditório Hélio Pólvora, na Biblioteca Pública Municipal Adonias Filho, Centro. O evento, que discute a importância da preservação patrimonial, foi uma iniciativa da Rede de Museus e Pontos de Memória do Sul da Bahia em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura (Secult) Ilhéus, do Instituto do Patrimônio Artístico Cultural da Bahia (Ipac), Cedoc/Uesc e do Instituto Nossa Senhora da Piedade.

Integrante da mesa de abertura, o secretário de Cultura do Município, Paulo Atto, falou sobre a importância da educação patrimonial para a comunidade ilheense, sobre as reformas e recuperação dos equipamentos culturais e da importância do IPAC na política pública municipal para o patrimônio. A parceria com o órgão se estende há mais de três anos, desde o início da gestão, que possibilitou a realização dos seminários de ICMS Cultural, Terreiro Legal, a elaboração das Cartilhas de Educação Patrimonial e a nota técnica para criação do Museu da Capitania.
O evento, que faz parte das comemorações dos 25 anos do Museu da Piedade e dos 100 anos do Instituto Nossa Senhora da Piedade, contou com a presença de Anarleide Menezes, gestora do Museu da Piedade e uma das articuladoras do evento e da Irmã Cíntia, Diretora do Instituto Nossa Senhora da Piedade. Estiveram presentes também Margarete Abud, Assessora Técnica do Ipac e Roberto Pelegrino, Diretor de Preservação do Patrimônio Cultural – Dipat.
Imagens – Como parte da programação do evento, foram entregues, às 8h desta sexta-feira, 18 imagens sacras restauradas no Instituto Nossa Senhora da Piedade. Dentre as obras de arte entregues totalmente restauradas para o Museu da Piedade de Ilhéus estão as das santas Joana D’Arc, Ângela, Teresinha de Lisieux e de Nossa Senhora da Piedade. 
O restauro foi apoiado com recursos do Fundo de Cultura, através do Edital Setorial de Museus gerido pelo IPAC, da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA). O projeto foi coordenado pela restauradora Norma Borges, produzido por Déa Márcia Federico e monitorado por Anarleide Menezes, gestora do Museu da Piedade.
Durante a tarde, os participantes assistiram a palestras sobre “Narrativas Patrimoniais – Conservar é preciso!”, participaram de roda de conversa tratando de Experiências Regionais em Projetos de Conservação de Acervo. Na programação, constaram ainda relatos de Gilmário Rodrigues acerca do “Memorial Unzó Tombenci Neto: Reforma e dinamização” e Dida Moreno, que falou sobre a “Casa de Arte Baiana: Artistas Baianos em Exposição de Longa Duração”.
Secretaria de Comunicação Social – Secom.
Ilhéus, 1.7.16

Nenhum comentário:

Postar um comentário