sábado, 27 de fevereiro de 2016

Gilmar Mendes manda apurar pagamentos da campanha de Dilma

Gilmar Mendes manda apurar pagamentos da campanha de Dilma

0
Ministro Gilmar Mendes
Ministro Gilmar Mendes
AGÊNCIA BRASIL
O vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, pediu apuração de pagamentos da campanha eleitoral da presidente Dilma Rousseff feitos a sete empresas que prestaram serviços nas eleições de 2014.
O ministro determinou que as notas fiscais de prestação de serviço sejam enviadas ao Ministério Público, Receitas federal e estadual, Polícia Federal e Conselho de Administração de Operações Financeiras(Coaf) “para providências cabíveis”.
O pedido foi feito dentro da prestação de contas da campanha presidencial, que foi aprovada com ressalvas no fim de 2014. Deste então, o ministro, que é relator das contas, vem pedindo apurações sobre suspeitas envolvendo a campanha.
Gilmar Mendes recebeu pedido do PSDB, que apontou indícios de “irregularidade e ilegalidade na contração epagamento efetuado a empresas que não possuem capacidade operacional para prestar os serviços avençados pela campanha do PT, bem como evidências de que as empresas aparentemente de fachada foram contratadas por valores exorbitantes e desproporcionais”.
As empresas apontadas pelo partido de oposição são: Mariana Produtos Promocionais Ltda; Rede Seg Gráfica e Editora; Vitor H G de Souza Design Gráfico; Marte Ind. e Com. de Artefatos de Papéis Ltda; Francisco Carlos de Souza Eirelli; Door2Door Serviços Ltda; e DCO Informática.
Segundo a decisão do ministro que pediu apurações a diversos órgãos, o PSDB quer saber se houve “indícios de participação de empresas incapazes de cumprir com o objetivo contratado na campanha de Dilma Rousseff, o que poderá ensejar práticas criminosas, inclusive, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha”.
O partido requer ainda apuração sobre se houve inserção de declaração falsa de valores em notas fiscaisdas empresas.
A presidente Dilma Rousseff também é alvo no TSE de quatro pedidos de cassação do mandato por parte do PSDB. O julgamento das ações, porém, ainda não têm data marcada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário