Postagem em destaque

Sebrae Bahia realiza mais de 47 mil atendimentos no primeiro trimestre de 2017

No mesmo período, foram realizadas ainda 423 capacitações, além do lançamento do Radar Sebrae Por: Redação O Sebrae Bahia real...

quarta-feira, 4 de março de 2015

Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU) só com ampla participação popular

Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU) só com ampla participação popular, afirma Hilton Coelho (PSOL)

O vereador Hilton Coelho (PSOL) afirma que mais uma vez a prefeitura de Salvador exclui a participação efetiva da população para a elaboração do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU). "Não podemos e não vamos aceitar como natural o faz de conta, ou seja, audiências públicas onde uma pessoa da prefeitura aparece nos locais de determinados bairros e expõe o que a prefeitura quer aprovar. Como os termos técnicos são inacessíveis à maioria, muita gente sai dos tais debates sem entender nada. Ora, o que propomos é justamente o contrário. Para que o povo participe de verdade propomos como metodologia que as sugestões e reivindicações venham da população e depois sistematizadas pela prefeitura para posterior aprovação".


"Para ser democrático e participativo o PDDU deve ser elaborado com as comunidades opinando e decidindo os destinos da cidade. O resultado desse debate deve receber a adequação técnica necessária e retornar para a população através das audiências públicas, a fim de ser aprovado de forma definitiva". Hilton Coelho avalia que "este sim é o PDDU Popular que queremos, que garanta efetivamente os interesses da maioria do povo de Salvador e não voltado para os diversos esquemas que comandam, há séculos, a coisa pública da cidade. A participação popular não pode ser entendida como mera legitimação do resultado produzido por consultorias, contratadas a peso de ouro".

Hilton Coelho defende que o processo deve ser iniciado por reuniões em todos os bairros da cidade, para coleta dos problemas, soluções e planejamento local, onde o papel dos representantes da prefeitura é ouvir as propostas e facilitar as decisões. Só então entram os técnicos, para transformar a informação vinda das comunidades em planejamento para toda a cidade, conformando-se em proposta da Prefeitura. Só então se deve promover as audiências públicas e debates para referendar a Plano Diretor. Até agora o que vimos foi a transformação das audiências públicas e debates em mera apresentação de planos feitos em gabinetes, ininteligíveis para a maioria da população. Cremos que só com a participação popular prevista pelo Estatuto da Cidade as decisões irão ao encontro dos anseios da maioria da população de Salvador que aparecerão de fato em um novo PDDU. A população em geral deve ser ouvida e não apenas os empresários do setor imobiliário", finaliza.

Da assessoria do vereador- 4 de março de 2015
Por - Carlos Alberto Carlão de Oliveira ​

Nenhum comentário:

Postar um comentário