quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Último dia do Carnaval Cultural de Ilhéus reforçou clima de paz e segurança

 
Foliões de todas as idades curtiram shows de samba e pagode com tranquilidade
 O último dia do Carnaval Cultural de Ilhéus acabou com gostinho de quero mais. Como para a estudante de Vitória da Conquista Ana Maria Almeida, de 21 anos. “Vim visitar a família do meu namorado e curtir o carnaval. Alguns amigos nos falaram sobre os shows e estamos adorando. Pena que está acabando. Vamos ficar com saudade desse carnaval em Ilhéus”, confessou a turista, ao som do samba de raiz do grupo Samba Light, primeira atração da noite de terça-feira, 17.
Logo em seguida, às 22h, os foliões caíram na quebradeira da banda PagodArt. Sob o comando do vocalista Flavinho, o grupo de pagode baiano balançou a multidão ao som de novos e antigos hits de sucesso como “Ovo de Avestruz”, “Se Você Quer Tome” e “Quando a Carreta Passa Todo Mundo Vai”. Entre um show e outro, o que arrancou aplausos do público foi a percussão do Grupo Cultural Dilazenze, do bairro da Conquista, em Ilhéus.

Com cerca de 6 mil pessoas concentradas na Avenida Soares Lopes, conforme levantamento inicial da Polícia Militar, a folia seguiu em clima de paz até a apresentação da última atração da noite, a banda Zhara. “Tem muito policial por aqui, não tem briga e estamos conseguindo nos divertir com segurança”, contou o comerciante ilheense Johnny Menezes, 43 anos, que levou os filhos Júlia, 4, e Agnaldo, de 5 anos, para curtir três dos quatro dias de shows no centro da cidade.
Para todos – Além do clima de paz e tranquilidade, garantindo segurança aos foliões, a programação diversificada também contribuiu para levar milhares de pessoas às ruas de Ilhéus neste Carnaval. “Vimos muitas famílias, jovens e crianças, pois todos os segmentos de público da cidade foram atendidos. Fizemos baile infantil, baile para a terceira idade, houve os desfiles dos blocos afro, a livre manifestação cultural dos blocos de sujo e os grandes shows no palco”, comentou o secretário de Cultura e interino de Turismo Paulo Atto. O prefeito Jabes Ribeiro reforçou a questão da segurança. “O nosso Carnaval Cultural transcorreu na absoluta paz. Fizemos a opção da festa mais concentrada no palco também porque sabemos que isso diminui os índices de violência e estamos numa fase de muita cautela. O mais positivo é que as famílias foram à Avenida Soares Lopes sabendo que estavam num ambiente protegido e organizado”.
A Prefeitura de Ilhéus também ofereceu aporte financeiro a diversos blocos de rua, como os blocos afro, blocos de sujo e carnavais de bairro, como a festa do Hernani Sá. Sobre a comparação a antigos carnavais na cidade, Jabes enfatizou as dificuldades pelas quais o Município atravessa. “Ilhéus vive uma transição na sua economia, então não podíamos fazer mais do que fizemos, que foi resultado de um grande esforço. Já fiz grandes investimentos em grandes bandas no Carnaval, mas quando era possível fazer isso. Hoje a realidade é outra. Não podemos ficar devendo a fornecedores ou mesmo deixar de cobrir a folha de pagamento”, ressaltou o prefeito.
Concentrado em um grande palco montado ao lado da Catedral de São Sebastião, o Carnaval Cultural de Ilhéus homenageou os 30 anos da Axé Music. Durante quatro dias de festa, de 14 a 17 de fevereiro, a cidade recebeu atrações locais e estaduais, como Tuca Fernandes, Alinne Rosa e as bandas 5% e PagodArt. O evento foi realizado pela Prefeitura Municipal e pelo Governo do Estado, por meio da Bahiatursa, com o apoio da Coca-Cola, Cicon Construtora, Base Negócios Imobiliários, Supermercados Meira, Schin, Vog Torres do Sul, American Park e D&D Home Center. 
  Comunicação – Secom.-Ilhéus – 18.02.2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário