Postagem em destaque

AGU PEDE REJEIÇÃO DE AÇÃO POR DANO MORAL MOVIDA POR LULA

OPERAÇÃO LAVA JATO AGU PEDE REJEIÇÃO DE AÇÃO POR DANO MORAL MOVIDA POR LULA CONTRA DELEGADO DA PF NA AÇÃO O EX-PRESIDENTE PEDE R$ 100 ...

sábado, 8 de fevereiro de 2014

Amurc defendeu o atendimento imediato às principais demandas dos municípios


Durante o Encontro Regional de Orientação com os gestores municipais, realizado nesta sexta-feira (7) pela União dos Municípios da Bahia (UPB) em parceria com o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e o apoio da Associação dos Municípios do Sul, Extremo Sul e Sudoeste da Bahia – Amurc, o presidente da entidade e prefeito de Ibicaraí, Lenildo Santana destacou que o evento foi uma oportunidade para compartilhar as dificuldades vividas pelos gestores e buscar soluções efetivas.
O debate em torno dos aspectos relevantes na apuração e prestação de contas com base na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) norteou o encontro em Ilhéus, que teve a participação de prefeitos, vereadores e técnicos das equipes de governo municipal. Para o coordenador da Coordenadora de Assistência aos Municípios (CAM) do TCM, Antônio Dourado Vasconcelos os gestores devem estar atentos para atuar com a contingência das despesas logo no fechamento do 1º bimestre do ano, para que não venha ocorrer rejeição de contas no final do ano.

Ao mesmo tempo, o presidente do TCM, Paulo Virgílio Maracajá enfatizou a necessidade do envolvimento de deputados e senadores para mudar a legislação brasileira e, assim, evitar que as contas dos gestores municipais continuem sendo rejeitadas de forma contraditória. Segundo Lenildo, mais de 80 % dos municípios utilizam o recurso do Fundeb para cobrir os salários com Educação, enquanto os gastos com demais demandas do setor deixam de serem atendidas.
Lutas Municipalistas
Lenildo destacou que o Pacto Federativo é uma discussão para longo prazo, mas que começa agora a articulação para o seu novo desenho, porém é necessário discutir alternativas imediatas para a saúde, educação, transporte e segurança. “É preciso que o Governo Federal partilhe melhor os recursos para os municípios ou auxilie nas despesas com os programas federais”, ressaltou o presidente da Amurc, que repetiu a mesma fala no encontro realizado em Maceió, onde convocou os prefeitos a participarem do movimento de paralização das prefeituras no próximo dia 11 de abril, com o objetivo de chamar a atenção do Governo Federal para o repasse aos municípios.
Após a manifestação em abril, está prevista para os dias 16, 17 e 18 de maio a 17ª Marcha à Brasília, com a participação dos gestores municipais. O presidente agradece o imenso apoio da UPB, TCM, Prefeitura de Ilhéus e do Ciapra, e, em especial os prefeitos e prefeitas com suas equipes que lotaram o auditório do Centro de Convenções.
 

POR - Viviane Cabral - Assessora de Imprensa
AMURC - Associação dos Municípios do Sul, Extremo Sul e Sudoeste da Bahia

Nenhum comentário:

Postar um comentário