terça-feira, 12 de novembro de 2013

APPI promove oficina de formação de monitores do Projeto Vida Viva

Preocupada com o aumento do adoecimento no local de trabalho, a direção da APPI/APLB-Sindicato tem buscado criar espaço de discussão e reflexão sobre a tríade vida/saúde/trabalho, fortalecendo os dirigentes sindicais dos municípios de Ilhéus, Una, Itacaré, Canavieiras e Uruçuca para atuar com os trabalhadores da base, na busca de condições e locais de trabalho que não adoeçam. Como parte desse trabalho, a APPI realizou nos dias 8, 9 e 10 de novembro, no município de Una, a oficina de capacitação e formação de monitores do Projeto Vida Viva.

O curso foi ministrado pela coordenadora nacional da Rede Vidaviva no Brasil, Mara Lira, e teve como principal objetivo enfrentar o desafio de promover ações concretas nos locais de trabalho que modifiquem as condições de serviço e a vida dos trabalhadores em educação. Durante a capacitação foram realizadas palestras, dinâmicas em grupos, relatos sobre os problemas do adoecimento e as realidades em cada uma das cinco cidades sob a jurisdição da APPI/APLB-Sindicato.

A presidente da APPI/APLB-Sindicato, Enilda Mendonça, informou que cursos de formação dessa natureza são fundamentais para refletir sobre os problemas que levam ao adoecimento no local de trabalho e ainda orientar sobre de que forma os líderes sindicais devem atuar para minimizar os riscos, os abusos e garantir a vida, os direitos e a integridade física dos trabalhadores. Explica Enilda Mendonça que desde muitos anos milhões de trabalhadores comprometem sua saúde e sua vida para atender às demandas das empresas, que tem desenvolvido formas cada vez mais sofisticadas de aumentar sua produção, produtividade e lucro.

A Rede Vidaviva, da qual participam diversos sindicatos, está propondo uma nova abordagem da relação entre vida, saúde e trabalho. O projeto pretende provocar a reflexão dos trabalhadores sobre as conseqüências do trabalho para sua saúde e sua vida e sobre a ação sindical e a organização dos trabalhadores no local de trabalho, imprescindíveis à mudança do quadro atual de adoecimento a que está exposto quem trabalha. Por esse motivo, a Rede Vidaviva está produzindo uma série de recursos formativos e comunicativos que visam estimular cada vez mais a aproximação entre sindicatos e suas bases.

 Da assessoria


Nenhum comentário:

Postar um comentário