Postagem em destaque

Prazo de renovação de alvarás de táxis de Ilhéus vence nesta sexta-feira

A Superintendência de Transporte e Trânsito (Sutran), autarquia vinculada à Secretaria de Infraestrutura, Transporte e Trânsito de Ilhéu...

sábado, 10 de agosto de 2013

Prefeito Jabes Ribeiro divulga carta aos ilheenses

Diante da situação de greve dos servidores municipais de Ilhéus e em meio à paralisação de parte dos serviços públicos, o prefeito Jabes Ribeiro divulgou hoje, dia 9, carta aberta à população na qual manifesta preocupação com a grave crise financeira do Município e reafirma a disposição para o diálogo com os servidores e a sociedade e o compromisso com a reorganização da cidade. Na carta, o prefeito admite que todos sabiam da difícil  situação da Prefeitura, mas afirma que encontrou o quadro de total desorganização das contas públicas superou todas as expectativas.
Nesse contexto, Ribeiro sugere que existem dois caminhos na busca de solução para a crise. Primeiro, “deixar tudo como está e repetir o modelo que sucateou os serviços públicos a níveis intoleráveis, que levou a rejeição das contas de Ilhéus no Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), nos últimos cinco anos”. O segundo caminho, conforme o prefeito, é “promover avanços e adotar medidas inadiáveis que garantam o pagamento sem atrasos dos salários dos servidores e serviços públicos de qualidade, priorizando investimentos em saúde e educação”, além de preparar o município para receber as obras estruturantes do Complexo Intermodal Porto Sul.
O prefeito destaca o esforço que tem empreendido para a formulação do Pacto por Ilhéus, com a participação da sociedade civil organizada. “Abrimos as contas da Prefeitura, fortalecemos a transparência na administração e atendemos a tudo que nos foi solicitado, respeitando os preceitos legais”, afirma. Por outro lado, Jabes lamenta que mesmo estando em pleno  processo de negociação e de construção do entendimento, “os sindicatos conduziram os servidores a uma greve, apresentando uma pauta que, se atendida, fará com que a folha salarial consuma mais de 70% da arrecadação municipal, ferindo a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF”, que limita os gastos com pessoal em, no máximo, a 54% das receitas correntes líquidas, no sentido de viabilizar serviços públicos essenciais à população.
Por fim, o prefeito cita as divergências em relação ao percentual de despesa com pessoal no orçamento da Prefeitura e enfatiza que aguarda parecer de consulta feita ao TCM para que esclareça as dúvidas geradas pelos sindicatos representantes dos servidores municipais. “Continuamos com as mãos estendidas ao diálogo com todos. Com paciência, trabalho e clareza de objetivos, Ilhéus sairá mais forte”, conclui Jabes, na Carta aos Ilheenses.
       DA - Secretaria de Comunicação Social (Secom)-Ilhéus – 09.08.2013   


Nenhum comentário:

Postar um comentário