quarta-feira, 12 de junho de 2013

DayHORC CHAMA ATENÇÃO DA FUMAÇA NO SÃO JOÃO

(Cuidados com os olhos durante festejos juninos podem evitar prejuízos para a visão)
 O mês de junho é especialmente marcado na Bahia pela celebração popular de datas importantes, como Santo Antônio, São João e São Pedro. A presença tradicional de elementos culturais como comidas, música e danças típicas está, quase sempre, associada à outras fortes presenças: a dos fogos de artifício e das fogueiras. Assim, é também nesta época do ano que aumenta consideravelmente o número de acidentes como queimaduras, amputações de membros, além das lesões de córnea ou até a perda de visão.

Quem fala mais sobre os possíveis danos à visão que podem ser ocasionados a partir da manipulação inadequada de fogos de artifício é o oftalmologista do DayHORC, José Fabiano Menezes (CRM 14258). Segundo o médico, existem dois grandes vilões para a saúde ocular durante o período de festejos juninos.
O primeiro está relacionado aos fogos de artifício, que costumam figurar entre os grandes causadores de queimaduras, mutilações e cegueiras nesta época do ano. “Os pequenos fragmentos liberados durante as explosões podem perfurar o globo ocular e levar a transtornos visuais e comprometimento da visão”, explicou Dr. José Fabiano. O segundo vilão é a fogueira. “Suas cinzas, fumaça e brasas muitas vezes ocasionam quadros de conjuntivite alérgica ou edema de pálpebra. Ardor, desconforto e lacrimejamento são os primeiros sinais de agressão à visão”, complementou o oftalmologista do DayHORC.  
Entre os diagnósticos mais comuns pelo uso sem cautela dos fogos de artifício estão os múltiplos traumas oculares. “Se uma fagulha atingir os olhos, por exemplo, pode causar queimadura corneana, mutilação das pálpebras, perfuração do globo ocular, catarata por trauma contuso e até descolamento de retina e, dependendo da gravidade, provocar a cegueira”, detalhou o especialista.

Prevenção e tratamento
Entendendo a prevenção como o primeiro passo para se evitar acidentes com os olhos nesta época do ano, o cuidado deve ser redobrado com as crianças, pois são elas que, normalmente, ficam mais próximas das fogueiras e de fogos de artifícios a serem detonados.
No entanto, em face de qualquer acidente, o especialista alerta para a importância de nunca utilizar colírios sem prescrição médica, nem usar remédios caseiros. “Pomadas ou qualquer outro tipo de substância não devem ser colocadas sobre as lesões. Ao sentir um desconforto ou qualquer outro sintoma ocular, deve-se procurar uma emergência oftalmológica o mais rápido possível. Pode-se, eventualmente, fazer uso de soro fisiológico frio e/ou de lágrimas artificiais até a consulta médica”, finalizou o médico José Fabiano. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário