Postagem em destaque

Comissão quer ouvir ex-secretário de Itabuna sobre carta aberta

O presidente da Comissão de Saúde, Enderson Guinho (PDT), articula a vinda à Câmara do ex-secretário de Saúde de Itabuna, Vitor Lavins...

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Arena de Brasília custou R$ 1,6 bilhão e acumula críticas e irregularidades

Inicialmente, o Mané Garrincha estava orçado em R$ 696 milhões. Segundo o TCDF, houve 19 aditivos na construção. O tribunal diz ter identificado sobrepreço em compras e pagamentos por serviços não executados, entre outras irregularidades. (Foto: Copa 2014/Divulgação)
Inicialmente, o Mané Garrincha estava orçado em R$ 696 milhões. Segundo o TCDF, houve 19 aditivos na construção. O tribunal diz ter identificado sobrepreço em compras e pagamentos por serviços não executados, entre outras irregularidades. (Foto: Copa 2014/Divulgação)

Erguido inteiramente com dinheiro público, o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha será inaugurado neste sábado em meio a dúvidas sobre sua viabilidade econômica e críticas à estratégia do governo do Distrito Federal (DF) para cobrir os custos da construção.
 O estádio, que tem sido apresentado pelo governo local como o mais moderno do país, abrigará a abertura da Copa das Confederações, em 15 de junho, e sete partidas do Mundial de 2014.

Trata-se da arena mais cara erguida para a Copa do Mundo, levando-se em conta os gastos já efetuados até agora nas construções e também as projeções atuais para os gastos em todos os estádios. O valor que a Terracap – agência imobiliária pública controlada pelo Distrito Federal e pela União – já desembolsou para financiar o Mané Garrincha soma R$ 1,2 bilhão, segundo o Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF).
Críticos apontam irregularidades na obra detectadas pelo TCDF e temem que a arena seja subutilizada após os torneios.

O montante, diz o tribunal, deverá alcançar R$ 1,6 bilhão quando forem executadas as obras de acabamento e sinaliza

Inicialmente, o Mané Garrincha estava orçado em R$ 696 milhões. Segundo o TCDF, houve 19 aditivos na construção. O tribunal diz ter identificado sobrepreço em compras e pagamentos por serviços não executados, entre outras irregularidades. Já o governo do Distrito Federal afirma que a elevação do valor inicial se deveu a exigências da Fifa e à execução de serviços não previstos no projeto original, como a cobertura das cadeiras. (João Fellet da BBC Brasil)

Do - jornaldamídia

Nenhum comentário:

Postar um comentário