segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Prefeitos da região destacaram a importância de instalação da UFSBA



Durante uma reunião realizada nesta segunda-feira (18), no Plenário da Câmara Municipal de Vereadores de Itabuna, gestores dos municípios circunvizinhos aprovaram a proposta de implantação da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSBA), que contemplará as cidades de Itabuna, Ilhéus, Una, Canavieiras, Itacaré, Ubaitaba, Itajuípe, Coaraci, Ibicaraí, Buerarema e Camacan. No entanto, para o início das atividades em 2014, o presidente da Comissão de Implantação, Naomar Almeida Filho revelou que o projeto precisa ser aprovado pelo Congresso Nacional até o final do mês de março. 

Os prefeitos aproveitaram a oportunidade para relatar as deficiências enfrentadas pelos gestores municipais na condução das ações em benefício da educação, mas avaliaram de forma bastante positiva a instalação dos Colégios Universitários, já que segundo eles, motivarão o ingresso de jovens e adultos na universidade. De acordo com Naomar, o apoio das prefeituras será fundamental para a implantação dos Colégios Universitários (CUs) e a permanência dos alunos egressos do Ensino Médio.

Diferente do modelo tradicional implantado na maioria das universidades no Brasil, a estrutura organizacional da UFSBA será estruturado com base em ciclos, visando diversificar e racionalizar modelos de formação, sem deixar de lado a função prioritária da universidade, que é desenvolver atividades em pesquisa e extensão. “A ideia é formar pessoas com pensamentos críticos e capazes de solucionar problemas sociais e econômicos da região. Nesse contexto, os cursos permearão demais instâncias do conhecimento, buscando a sua interface”, explicou a professora Joana Guimarães, que também integra a Comissão.

O desenvolvimento do projeto conta com a parceria da Associação dos Municípios do Sul, Extremo Sul e Sudoeste Baiano – Amurc e, de acordo com o prefeito de Ibicaraí e presidente da associação, Lenildo Santana, a região está sendo contemplada com uma universidade de características regionais. Ele declarou ainda que a associação estará engajada e continuará mobilizando os prefeitos e a sociedade em torno da instalação da universidade. “Fico muito feliz em fazer parte desse momento histórico, principalmente pelos municípios estarem participando. Não há outra forma de fazer mudança social, senão através de modelos de desenvolvimento bem sucedidos”. 

Entre os critérios para a instalação dos campus foi levado em consideração a quantidade mínima de 300 jovens egressos do Ensino Médio e o mínimo de 20 mil habitantes para cada município contemplado. Os Colégios Universitários serão Ambientes Virtuais de Aprendizagem, com 50 computadores interligados e em torno de 9 mil vagas por ano. De acordo com o vice-prefeito de Itabuna, Wenceslau Júnior, o desafio agora será de estudar como os municípios irão ajudar no desenvolvimento para a instalação dessa infraestrutura em suas localidades.

Através de uma parceria com a Amurc, o presidente da Comissão estará desenvolvendo uma “Mesa Permanente” de diálogo com as autoridades municipais para debater sobre as demandas de cada um e as suas propostas para a instalação da infraestrutura educacional. “Além disso, antes da implantação dos Colégios Universitários vamos fazer o retorno em cada município para o trabalho de esclarecimento e motivação aos próprios alunos do Ensino Médio, pois precisamos re-motivar esses jovens”, concluiu Naomar.

Ainda estiveram presentes a reunião, o prefeito de Itabuna, Claudevane Moreira Leite, o presidente da Câmara de Vereadores de Itabuna, Aldenes Meira, o deputado federal, Geraldo Simões, a diretora da Direc 7, Rita Dantas, o superintendente regional da Ceplac, Juvenal Maynart, representantes de movimentos sociais e de classes.




Por - Viviane Cabral - Assessora de Imprensa
AMURC - Associação dos Municípios do Sul, Extremo Sul e Sudoeste da Bahia

Nenhum comentário:

Postar um comentário