segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Despedida



                      Ao poeta:
                      Juarez Vicente Silva de Carvalho

O céu azul, as nuvens brancas
Até parecendo o apelo da paz
Dentro de um momento vazio

As andorinhas revoavam fazendo festa
Entre o contraste verde de uma árvore solitária
Até parecia um aviso do Senhor!

Era trinta e um de janeiro
De dois mil e treze no Campo Santo
O universo ficava mais triste

Se desfazia um professor, um poeta
Entre o sol, o vento e a emoção...
Outros poetas lhe suplicavam a Deus

E, entre lágrimas, emoções e fé
Da sua trajetória de homem ético
A um cantinho no céu!

Os poetas suplantavam as adversidades
Na força da poesia e da canção
Que por aqui um dia ele plantou!

Dentro de um mundo de magia, amor e flor
Tentavam disfarçar a saudade, a dor...
Adeus poeta! Adeus poeta!

Só os deuses lhe consolidaram
O seu destino ao encontro de Deus!
Pois os poetas não morrem...

Eles se encontram no desencanto
Do encanto da magia do universo.
E deixam as poesias, os versos!

Joselito dos Reis
31.01.2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário