Postagem em destaque

PREFEITO ANTONIO DE ANÍSIO SOLICITA REFORÇO POLICIAL PARA ITACARÉ

O prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, se reuniu nesta quinta-feira com o delegado regional da 7ª Coordenadoria Regional de Polícia...

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Santa Casa de Itabuna garante oportunidade para pessoas com deficiência

 A admissão de funcionários com deficiência no Brasil há muito tempo foi regulamentado em Lei, devidamente fiscalizada pelo Ministério Público do Trabalho com percentual obrigatório de contratações correspondente ao porte da empresa. Na Santa Casa de Misericórdia de Itabuna, além do cumprimento da normatização legal, a admissão de pessoas com deficiência é fundamentada no conceito de Responsabilidade Social. Na instituição um dos destaques é a possibilidade de progressão de carreira. 

Segundo a psicóloga organizacional e gerente do Setor de Recursos Humanos, Eneila Cerqueira, o trabalho desenvolvido junto às pessoas com deficiência tem gerado resultados positivos na Santa Casa de Misericórdia de Itabuna. “Inicialmente realizamos uma seleção observando as habilidades e as competências de cada candidato à vaga, procurando posteriormente adequar o perfil de cada um à oportunidade de desenvolvimento pessoal e profissional”. 

Um dos contratados sob esta condição é o auxiliar administrativo Clodoaldo Lelis, há dois anos lotado na Escola Técnica em Saúde. Para Clodoaldo, que também é presidente da Fundação dos Deficientes do Sul da Bahia (Fundesb), um dos diferenciais da Santa Casa de Itabuna é a possibilidade de progressão na carreira. 

“Está é a chance de ter reconhecimento profissional e uma melhor remuneração financeira, já que, no geral, muitos optam por ficar fora do mercado de trabalho ao estar recebendo o Benefício de Prestação Continuada (BPC), preferindo receber um salário mínimo sem trabalhar do que investir em uma profissão”, declarou Clodoaldo.
 
No Hospital Calixto Midlej Filho, um dos destaques é a atuação da coordenadora de Higienização, Camila Nascimento Lima, que foi admitida na instituição como assistente administrativa e hoje, graduada em Administração e em fase de conclusão do curso de MBA em Gestão Hospitalar, coordena mais de 80 funcionários no setor. “Sempre digo que só lembro que tenho uma deficiência quando olho para meu braço, pois vivo minha vida sem fazer da deficiência empecilho para nada. As limitações estão na cabeça de cada pessoa, sendo pessoa com deficiência ou não”, relatou Camila.

Segundo Eneila, “as chamadas habilidades e competências aqui são uma realidade cotidiana. Estimulamos todos os funcionários, a explorar seu potencial, muitas vezes ainda não revelados por múltiplos fatores, inclusive pela possibilidade de preconceito ou baixa auto-estima vivenciados ao longo da vida”, declarou Eneila Cerqueira. 
  Por - Jack Simões

Nenhum comentário:

Postar um comentário